LEIA EM

Baixada Santista

Os seis mil servidores municipais de Cubatão entram no 15º dia de greve, nesta quarta-feira, desde que o prefeito Ademário Oliveira mandou para a Câmara Municipal, seu “Pacote de Maldades”, que é composto de medidas que prejudicam o funcionalismo público.

Vereadores que se comprometerem e traíram o funcionalismo público de Santos: Adilson Júnior (PTB), Antonio Carlos Banha (PMDB), Fabiano da Farmácia (PR), Boquinha (PSDB), Lincoln Reis (PR), Manoel Constantino (PSDB), Roberto Teixeira (PSDB), Sergio Santana (PR).

“O déficit do ano passado, eles fizeram uma manobra contábil de pegar o dinheiro do fundo do IPREV e colocar no fechamento de 2016. Esta é a maior pedalada, mais do que a da Dilma”, e conclui colaborando com o interlocutor: “Quer foder ele no impeachment? Esta é a pedalada

Em dia de casa cheia, vereadores de Santos ouviram o diabo das galerias. Um deles, Rui de Rossis, não se conteve e mandou, fora do microfone, um sonoro “Vai tomar no c*”, abafado por mais vaias. Um “Show de Horrores” na Casa do Povo Por Glauco Braga do Santos em Off

A Prefeitura deve enviar à Câmara Municipal uma nova proposta de reposição salarial, que já foi rejeitada pela categoria. 16 Vereadores se comprometeram com o Sindicato e com os trabalhadores que não aprovariam a proposta da prefeitura.

O Blog Santos em Off apurou que o envio do Choque à Cidade foi um pedido do prefeito Ademário Oliveira. Ele passou por cima dos comandos da PM em Cubatão e da Baixada Santista e pediu socorro diretamente ao secretário de Segurança do Estado Mágino Alves Barbosa Filho e ao governador Geraldo Alckmin.

O veículo foi encontrado em uma estrada na área rural de Peruíbe. A vítima, Maria Luzianira de Lima Pereira, de 47 anos, estava morta dentro do porta-malas, juntamente com as chaves do carro. Ela não apresentava sinais aparentes de violência.

O objetivo dos servidores era evitar que os vereadores votassem um “pacote de maldades” proposto pelo prefeito tucano Ademário Oliveira (PSDB) que retira direitos dos trabalhadores. A PM desceu o cassete e o projeto foi aprovado. Da Redação A Polícia Militar agrediu com bombas de efeito moral, cassetetes e balas

De acordo com o grupo, nenhuma instituição federal foi acionada, mesmo o projeto abrangendo territórios indígenas e unidades de preservação que são responsabilidades da união. O grupo lançou perfil e manifesto nas redes sociais que pode ser assinado aqui.

“Ciatas de Santos – Mulheres que no samba resistem”é um projeto fotográfico (ensaio e exposição fotográfica) que busca homenagear o centenário do samba, comemorado no biênio de 2016/2017, através da reverencia às importantes personalidades femininas do mundo do samba da cidade de Santos.