LEIA EM

Política

Relator da Lava-Jato no STF, ministro Luiz Edson Fachin retirou sigilo do inquérito sobre o deputado santista.

A decisão unânime da Câmara Municipal deve ser confirmada no próximo dia 30, em segunda votação, para entrar em vigor.

Projeto do presidente da Câmara, Edison Dias (PT), visa mais transparência nas ações e decisões tomadas pelo Legislativo local.

Motivados por denúncia de Telma de Souza (PT), vereadores aprovam emenda que proíbe transferência de funcionários públicos municipais para órgãos da União, estados e outras cidades; posposta segue para sanção ou veto do prefeito.

Representantes da Baixada Santista, Beto Mansur (PRB), João Paulo Tavares Papa (PSDB) e Marcelo Squassoni (PRB) são os mais lembrados em protesto nas areias da praia do Gonzaga.

Congresso para eleger nova direção estadual do partido decidiu pelo nome do ex-prefeito de São Bernardo, recebendo 643 dos 999 votantes

A presidente da União nacional dos Estudantes (UNE) e ex-candidata a prefeito de Santos, Carina Vitral, comenta sobre os cem primeiros dias do segundo governo do prefeito Paulo Alexandre Barbosa. Por Carina Vitral (*) Nos primeiros 100 dias de gestão do prefeito Paulo Alexandre Barbosa pode-se observar nitidamente uma clara

De acordo com Benedicto Júnior, o pagamento foi feito para ‘Benzedor’, codinome dado ao deputado Papa, ex-prefeito de Santos (2005-2012) e que foi superintendente da Sabesp entre 1991 e 1995 e diretor da estatal entre 2013 e 2014. À época do repasse, ele concorria a uma cadeira na Câmara. Segundo BJ, como Benedicto Júnior é conhecido, os pagamentos foram feitos “de forma ilícita, sob pretexto de campanha eleitoral”.

De acordo com a Mind Pesquisas, 40,9% da população de São José dos Campos considera a administração do tucano Felício Ramuth ruim ou péssima. Outro ponto curioso da pesquisa aponta que quase metade dos eleitores não sabe quem governa a cidade e desconhece o prefeito Ramuth. Da Redação com Informações

Os seis mil servidores municipais de Cubatão entram no 15º dia de greve, nesta quarta-feira, desde que o prefeito Ademário Oliveira mandou para a Câmara Municipal, seu “Pacote de Maldades”, que é composto de medidas que prejudicam o funcionalismo público.