LEIA EM

GERAL

Um dos corintianos condenados pela morte do torcedor palmeirense Gilberto Torres Pereira, em 19 de agosto de 2014, desmaiou ao ouvir a sentença de condenação proferida na manhã desta quinta-feira (23).

A suspeita é que os incêndios sejam criminosos. No pátio de veículos, há carcaças de carros apreendidos pela Secretaria de Transportes de São Vicente.

A vítima foi encaminhada para uma unidade de saúde de Cubatão, e depois transferida para um hospital em Santos, onde permanece internada em estado estável.

A greve dos servidores de Santos, no litoral de São Paulo, completa oito dias nesta quinta-feira (16). Os funcionários se concentraram na Praça Mauá, no Centro de Santos. A paralisação dos serviços é por tempo indeterminado e é coordenada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santos (Sindserv) por conta da falta de reajuste salarial. A prefeitura de Santos ainda não apresentou nenhuma proposta.

“Vai ser doloroso. Pois hoje vão querer insinuar que meu filho era mulherengo, vão dizer que ele tinha dívida com agiota, que brigava por ciúmes da namorada. Isso tudo é muito ruim de escutar porque não é verdade”, diz Carlinhos.

O proprietário participa de competições de mountain bike e corridas de aventura, e já obteve bons resultados em alguns circuitos. Ele viajaria nesta sexta-feira para Ubatuba, no litoral paulista, onde participaria da primeira etapa do Haka Race. O furto, no entanto, frustrou seus planos.

No dia 28 de dezembro de 2016, Gloria Perez lembrou os 24 anos da morte da filha, Daniella Perez. Também condenada pelo crime, Paula Thomaz, ex-mulher de Guilherme de Pádua, reconstruiu a vida. Casou-se de novo e hoje vive em Copacabana, na Zona Sul do Rio.

Atenção, se você tem o coração fraco ou se apavora com facilidade não assista! Um vídeo supostamente gravado no Instituto Médico Legal de Cuiabá assombrou a internet na madrugada desta terça-feira (14). Veja aqui.

Cansadas de sofrer boicotes e não ter o devido espaço, a Frente Regional de Mulheres no Hip Hop Baixada Santista (FRMH2-BS) organizou o seu primeiro evento para mostrar que o Hip Hop também é das minas.

“Ela estava ensinando o morador, alfabetizando ele há quatro meses e ninguém imaginava que iria fazer uma coisa dessas. Ela era uma pessoa inocente, vivia fazendo caridade. Ela trabalhava em um projeto para crianças. Ela só fazia o bem, não tem explicação, pela maldade, que fizeram com ela”, afirma Laudiceia Lopes, cunhada da vítima.