Home»REGIÃO»Baixada Santista»Paulo Singer será homenageado em Santos

Paulo Singer será homenageado em Santos

Considerado o principal expoente da economia solidária, o professor terá seu trabalho reconhecido pela Câmara Municipal, por meio de Sessão Solene.
Da Redação*

O trabalho de Paul Singer, principal nome da economia solidária no Brasil, e sua contribuição para Santos, serão reconhecidos pela Câmara Municipal da Cidade, no próximo dia 29 de agosto, às 16 horas, em Sessão Solene. O professor e economista receberá a Medalha de Honra ao Mérito Brás Cubas, por iniciativa da vereadora e ex-prefeita do município, Telma de Souza (PT).

Paul Israel Singer é o maior expoente nas pesquisas e no desenvolvimento de políticas sobre Economia Solidária, que consiste em uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza centrada na valorização do ser humano. Em Santos, inspirou e norteou o desenvolvimento de políticas sociais implantadas sob o governo da Administração Democrática Popular, entre 1989 e 1996, como o projeto de Lavandeiras Comunitárias.

Mais recentemente, Paul Singer também participou da orientação do Curso de Formação de Gestores em Economia Solidaria na Universidade Católica de Santos (UNISANTOS) e proferiu a palestra inaugural. O homenageado ainda discutiu propostas voltadas à Saúde Mental com a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária de Santos (ECOSOL), buscando fortalecer os projetos, oficinas e empreendimentos de trabalho e renda, protagonizados pelos usuários da saúde mental local.

Para Telma de Souza, a homenagem a Paul Singer demonstra o profundo reconhecimento de Santos às ideias propostas por ele, particularmente da Economia Solidária. Além disso, a vereadora e ex-prefeita destaca que o momento político e econômico atual do País reforçam a necessidade de absorção do conhecimento de Singer, especialmente por conta dos ataques sistemáticos às garantias trabalhistas, o que torna imperativa a resistência às modificações da relação entre o capital e o trabalho, baseando-se em princípios como a equidade, a garantia dos direitos conquistados e a solidariedade, em detrimento ao lucro e ao acúmulo indiscriminado.
A homenagem a Paul Singer acontecerá no Plenário Oswaldo De Rosis, da Câmara Municipal, à Praça Tenente Mauro Batista de Miranda, 01, Vila Nova, em Santos. Informações pelo telefone (13) 3219-1890.

Trajetória

Nascido em Viena, na Áustria, no dia 24 de março de 1932, e radicado em São Paulo, no Brasil, desde 1940, Singer é filho de pequenos comerciantes judeus do subúrbio operário de Viena, e emigrou com a família ao Brasil quanto tinha oito anos, para evitar perseguições nazistas. Já em São Paulo, em 1951, Paul Singer formou-se em Eletrotécnica na Escola Técnica Getúlio Vargas e, a partir de 1959, cursou exitosamente o curso de Economia da Universidade de São Paulo. Filiado ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, foi um dos líderes da greve dos 300 mil que paralisou a indústria paulistana por mais de um mês em 1953.

Paul Singer foi membro ativo do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi um dos fundadores da Organização Revolucionária Marxista Política Operária (Polop), ala mais à esquerda do Partido. A organização foi uma das mais influentes na formação de diversos outros grupos revolucionários de esquerda no país.

Em 1960, Paul Singer começou a lecionar na USP, dando prosseguimento aos estudos, tornando-se doutor em Sociologia em 1966. Para tal, defendeu tese sobre o desenvolvimento econômico e seus desdobramentos territoriais em cinco cidades brasileiras, sob a orientação do sociólogo e político Florestan Fernandes. Logo em seguida, foi aos Estados Unidos estudar Demografia em Princeton e retornou para ser Professor Titular da USP nas faculdades de Economia, Administração e Contabilidade. Entretanto, o Golpe Militar de 1964 mudaria o cenário e a história nacionais, com perseguições a adversários políticos e defensores de ideias de esquerda, culminando, em 1968, pelo Ato Institucional número 5, com a cassação de seus direitos políticos.

O AI-5 impôs a Paul Singer a sua aposentadoria compulsória por causa de suas atividades políticas, aos 37 anos de idade, com a expulsão do corpo docente da USP. A restrição o levou àfundação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), um núcleo intelectual de oposição à ditadura.

Paul Singer voltou a lecionar em 1979 na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). No ano seguinte, ajudou fundar o Partido dos Trabalhadores (PT). Lecionou durante apenas quatro anos na PUC, mas continuou desenvolvendo seus trabalhos no CEBRAP até 1988. Livre docente e professor titular da USP, foi secretário de Planejamento de São Paulo no governo de Luiza Erundina e, a partir de 2003 por 13 anos, secretário nacional de Economia Solidária do governo brasileiro, nas gestões dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Paul Singer foi casado com Melanie Berezovsky, falecida em 2012, e pai de três filhos, um cientista político, uma socióloga e uma jornalista.

*Com informações da Rede Telma

Foto: Rede Telma

Comentários

Comentários

Espetáculo musical faz referência a LGBTs em Santos

Próximo

This is the most recent story.