Home»Destaque»Bancos de sangue da Baixada Santista pedem doadores

Bancos de sangue da Baixada Santista pedem doadores

Durante o período de férias, boa parte das pessoas costuma viajar, o que acaba contribuindo para diminuir os estoques, preocupando  os profissionais da área da Saúde.

Da Redação*

Os bancos de sangue da Baixada Santista estão passando por um período de dificuldades. Durante as férias, conforme acontece normalmente, boa parte dos moradores locais viaja, o que prejudica o movimento dos bancos e os estoques acabam diminuindo. Com um agravante: poucas pessoas procuram os serviços para abastecê-los .

No banco do Hospital Ana Costa, por exemplo, o ideal seria ter ao menos 30 doadores por dia. Na última quinta-feira (13-7), apenas cinco compareceram ao local. O banco de sangue da Casa de Saúde também enfrenta dificuldade semelhante. “A gente está precisando de plaquetas. Este é um mês em que cai muito, por causa das férias. As pessoas viajam, Até agora, a gente está conseguindo manter o nosso estoque, mas as plaquetas duram apenas cinco dias e costumam ser usadas por pacientes com leucemia”, explica Marta Uebele, coordenadora técnica do Centro de Hematologia do hospital.

“O sangue vence em 30 dias. Por isso, não significa nada dizer que os estoques estão cheios. A gente precisa de doações continuamente. Há a necessidade que os doadores continuem vindo todos os dias”, explica a biomédica Nara Simone Ferreira de Jesus, supervisora do Banco de Sangue do Hospital Ana Costa, em Santos.

O sangue é considerado como um órgão: não tem como ser comprado e ele é insubstituível para o funcionamento do corpo humano. “Todas as funções do organismo dependem do sangue. Um exemplo é o carregamento do oxigênio. Não há nenhum outro tipo de tratamento que substitua”, explica Nara Simone.

Doar sangue é simples, rápido e seguro. O processo, entre entrevista, triagem física e clínica e doação propriamente dita, dura em média 40 minutos. O material coletado passa por rigorosos exames para identificar doenças infectocontagiosas, como hepatites, HIV, entre outras. “É isso que garante a segurança ao receptor. A única exigência é que o doador esteja em bom estado de saúde de uma forma geral”, diz Nara.

Na prática, a doação de sangue costuma ser autorizada quando a pessoa, entre 18 e 69 anos, não tem nenhum doença infectocontagiosa, está em boas condições de saúde, pesa acima de 50 quilos, faz uma alimentação leve e não fuma em até duas horas antes. Também não pode ter ingerido bebida alcoólica por 24 horas antes. É preciso apresentar documento de identificação com foto. Jovens a partir de 16 anos podem doar se comparecerem acompanhados dos pais. Todo doador tem garantido direito ao abono de uma falta por ano no dia da doação.

*Com informações de A Tribuna

Foto: Sindicato dos Bancários

Comentários

Comentários

Eletricista que matou ex-vereador de Cajamar é preso

Próximo

This is the most recent story.