Home»REGIÃO»Baixada Santista»Preta-Rara convida Nega Gizza para show em Santos

Preta-Rara convida Nega Gizza para show em Santos

O evento vai homenagear as mulheres do Hip Hop e acontece no Sesc Santos, com entrada gratuita.

Da Redação*

Nascida e criada em Santos, no litoral de São Paulo, Preta-Rara vem se consolidando como uma das principais rappers do país. Ela e Nega Gizza dividem o palco e suas rimas em apresentação única e gratuita na comedoria do Sesc Santos, nesta quinta-feira (29-6), a partir das 21 horas. Somando à conexão Rio-Santos, a DJ paulistana Simone Lasdennas, que já participou de festivais com vários artistas dentro e fora do Brasil, comanda as picapes desta noite dedicada às mulheres da cultura Hip Hop no Brasil.

Nega Gizza, aos 15 anos, quando escutou uma música de rap, pela primeira vez, se identificou imediatamente com o estilo musical. Após ter perdido seu irmão, Márcio, morto pela polícia aos 27 anos, Nega Gizza foi “adotada” como irmã por MV Bill, que a convidou para participar de sua banda como backing vocal. Era só o início de uma carreira marcante como rapper, apresentadora e uma das fundadoras da CUFA- Central Única das Favelas, no Rio de Janeiro.

Preta-Rara cantarolava as rimas de Gizza enquanto se descobria mulher e negra. Filhas de trabalhadoras domésticas, ainda meninas entenderam as responsabilidades da vida adulta, e por meio das rimas superaram, cada uma ao seu modo, as adversidades e resistiram ao cotidiano de violência e opressão em que vivem as mulheres pretas no Brasil.

A #EuEmpregadaDoméstica, lançada no dia 20 de julho de 2016, abriu um novo espaço para o diálogo sobre as condições das empregadas domésticas no país. A página recebeu mais de 40 mil likes em menos de 24 horas. Atualmente, a rapper está gravando a webserie Nossa Voz Ecoa, contemplada pelo edital de Cultura Negra PROAC/2016, e o lançamento do 1º episódio está previsto para agosto deste ano.

O trabalho desenvolvido pelas três artistas é reconhecido por estimular a base do Hip Hop, por meio de oficinas e projetos de combate às intolerâncias como o machismo, o racismo e a gordofobia, com o objetivo de consolidar as mulheres no gênero, através das gerações.

Foto: Divulgação

 

Comentários

Comentários

Porto de Santos recebe o maior navio de transporte de contêineres

MP prorroga prazo para eliminação de cilindros