Home»REGIÃO»Baixada Santista»Roubos, furtos e estupros aumentam na Baixada Santista

Roubos, furtos e estupros aumentam na Baixada Santista

Praia Grande teve o pior resultado das cidades da região quanto ao número de roubos e Santos lidera nos furtos. Cidades do Vale do Ribeira também apontam resultados preocupantes em relação a essas ocorrências.

Da Redação*

Quase 9 mil roubos e mais de 12.500 furtos foram realizados Apenas nos primeiros cinco meses do ano a região de Santos, que reúne 24 cidades da Baixada Santista, no litoral, e Vale do Ribeira, registraram quase 9 mil roubos e mais de 12.500 furtos. Na prática, cerca de 59 pessoas são vítimas de roubo na região por dia. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

De janeiro a maio deste ano, os maiores números foram de casos de furto e roubo. Em 2017, na região de Santos, foram contabilizados 12.579 furtos e 8.918 roubos, que são os casos onde há o ato de subtrair algo de alguém mediante grave ameaça ou violência à pessoa. Houve um aumento de 7% em relação ao número de roubos no mesmo período de 2016, quando foram registradas 8.299. Já sobre casos de furto, o aumento foi apenas de 0,02%.

Entre essas modalidades de crime, Praia Grande teve o pior resultado das cidades da Baixada Santista quanto ao número de roubos, com 2.079. Santos aparece em segundo lugar com 1.729. Já em relação aos furtos, Santos ocupa o primeiro lugar com 2.766 até agora. Em seguida, vem Praia Grande com 2.149 e Guarujá com 1.395.

Os roubos de carga subiram de 134 para 190 neste ano, o que representa um aumento de 40%. Roubos de veículo subiram 7,5%, sendo 8.299 para 8.918, e os furtos aumentaram em 4%, passando de 1.751 para 1.822 neste ano. Os estupros continuam com alto índice na região. De janeiro a maio de 2016, foram 191 e, neste ano, já foram registrados 197, no mesmo período.

Alguns números em relação a outros crimes na região: houve uma queda de 20% no número de tentativas de homicídio, de 136 para 109 no período. Os casos de latrocínio (roubo seguido de morte), foram 12 no ano passado e 11 nos primeiros cinco meses de 2017. Também houve uma pequena queda no número de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar). Neste ano foram registrados 72 e 73 no ano passado. Já os roubos a banco caíram de 4 para 2.

*Com informações do G1

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Comentários

Comentários

MP abre inquérito para investigar bancos em Guarujá

Empresários e policiais são condenados por envolvimento com casas de prostituição