Home»REGIÃO»Baixada Santista»Homem que fingia ser policial é preso por estupro em Peruíbe

Homem que fingia ser policial é preso por estupro em Peruíbe

Vítima tem 25 anos e afirmou que o acusado havia lhe oferecido trabalho. Polícia encontrou um revólver na residência o vendedor.

Da Redação*

Um homem, que está sendo acusado de se passar por policial  e estuprar uma jovem, foi preso pelo delegado Eduardo Assagra Ribas de Mello, comandante da Corregedoria da Polícia Civil em Santos, no litoral de São Paulo, e região. Com o respaldo de mandados de prisão temporária de 30 dias do vendedor Pablo Machado de Lima, de 42 anos, e de busca e apreensão para revistar a sua casa, na Rua João Bechir, no Bairro Estação, em Peruíbe, os policiais civis o capturaram encontraram um revólver Rossi calibre 38 no imóvel.

Carregado com seis balas, o revólver estava escondido no banheiro, atrás do lavabo. Assagra conduziu Pablo à Delegacia de Peruíbe, onde a delegada Márcia Regina Santos o autuou em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma e ratificou o cumprimento do mandado de prisão temporária.

Segundo o delegado da Corregedoria, ficou apurado que Pablo não é e nunca foi policial. “Mas nós fomos acionados diante da dúvida que existia a esse respeito e porque ele disse à vítima que tem influência e, por isso, não seria preso”, acrescentou Assagra.

A jovem estuprada tem 25 anos e disse que Pablo lhe ofereceu trabalho. Segundo ela, na quarta-feira da semana passada, os dois se encontraram em um bar no Centro de Peruíbe e depois seguiram até o Guaraú, no carro dele, para buscar um material publicitário. Em seguida, a vítima e o acusado foram até a casa dele deixar o material de propaganda, ocasião em que ele trancou a porta, sacou um revólver e passou a ameaçá-la de morte. Após praticar a violência sexual, Pablo levou a jovem de carro até a residência dela.

Por fim, a vítima contou que, durante todo o trajeto, foi novamente ameaçada e zombada por Pablo. Ao afirmar ser “amigo” de policiais, o acusado alegou que não adiantaria a jovem denunciá-lo, porque ninguém acreditaria na versão dela. Como forma de dar credibilidade ao que falava, o vendedor chegou a buzinar ao passar de carro por duas viaturas.

Com informações de A Tribuna*

Foto: Commons

Comentários

Comentários

Farmácias populares de Santos encerrarão atividades

Correios fecham única agência da Zona Noroeste, em Santos