Home»REGIÃO»Baixada Santista»Auditores fiscais do Porto de Santos debatem encerrar greve

Auditores fiscais do Porto de Santos debatem encerrar greve

Categoria analisa iniciar outro tipo de movimento para pressionar Governo Federal, depois que o Senado aprovou medida provisória que concede reajustes a servidores federais e reestrutura cargos e carreiras do serviço público.

Da Redação*

Os auditores fiscais da Receita Federal que atuam no Porto de Santos, litoral de São Paulo, podem encerrar a greve, que teve início no dia 22 de maio. A possibilidade surgiu depois que o Senado Federal aprovou medida provisória que concede reajustes a servidores federais e reestrutura cargos e carreiras do serviço público. Com isso, os trabalhadores santistas foram beneficiados.

A categoria paralisou os trabalhos com o objetivo de pressionar o Congresso a votar a questão, que perderia o efeito, caso a MP não fosse aprovada até o dia 1 de junho. Tramitando desde dezembro do ano passado, os parlamentares deixaram a análise da pauta para a última hora. Na noite de quarta-feira (31-5), a matéria foi aprovada pela Câmara, onde a maior discussão se deu por conta da base de cálculo para o pagamento de um bônus de eficiência e produtividade para as carreiras tributária e aduaneira da Receita e de auditoria-fiscal do Trabalho – cuja fonte de recursos seria a arrecadação de multas e a venda de bens apreendidos.

Os dispositivos que garantiam estes benefícios foram retirados do texto aprovado pelos senadores. Com a exclusão da base de cálculo, os servidores permanecem ganhando um valor fixo, previsto no texto para ser pago enquanto não fosse definida a metodologia de mensuração da produtividade. Agora, a MP segue para a sanção do presidente Michel Temer.

Apesar da paralisação, a movimentação de importação e exportação no Porto não foi muito afetada. De acordo com o diretor-executivo do Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Estado de São Paulo (Sindamar), José Roque, boa parte das cargas estava sendo desembaraçada automaticamente. “O impacto não está sendo desastroso”, afirma.

*Com informações de A Tribuna

Foto: Divulgação/Codesp

Comentários

Comentários

Moradores de Cubatão têm dificuldade para realizar tratamentos

Santos ganhará mais 30 câmeras de monitoramento