Home»REGIÃO»Baixada Santista»Funcionalismo público de Praia Grande entra em greve

Funcionalismo público de Praia Grande entra em greve

Paralisação, por tempo indeterminado, foi deliberada após a prefeitura enviar proposta de reajuste à Câmara de Vereadores. Administração montou plano de emergência para manter 80% dos trabalhadores nos serviços essenciais.

Da Redação*

Os funcionários públicos de Praia Grande, no litoral de São Paulo, começam paralisação nesta quarta-feira (31-5). A prefeitura espera manter 80% dos servidores nos serviços essenciais e preparou um plano para redistribuir os trabalhadores. A greve foi acertada depois da Câmara de Vereadores aprovar uma proposta de reajuste salarial ao funcionalismo de 6%, apresentada pela administração municipal. De acordo com o sindicato, não houve comunicação de decisão.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Praia Grande, Givanildo Berto da Silva, afirmou que a prefeitura interrompeu as negociações e apresentou o reajuste à câmara. Os vereadores aprovaram com 17 votos a favor e 2 contrários. “É triste, já que claramente houve um desrespeito não ao presidente do sindicato, mas, sim, a todos os servidores. Não se encerra uma negociação desse jeito”, disse A aprovação fez com que a paralisação fosse mantida. Ao todo, a cidade tem 11,5 mil servidores públicos na ativa. O sindicato não tem uma estimativa de quantos vão aderir à paralisação, que ocorre por tempo indeterminado.

A prefeitura revelou que quer executar um plano emergencial prevendo a troca de servidores em áreas como Saúde, Educação e Assistência Social. Os diretores dos equipamentos públicos terão autonomia para redistribuir os funcionários. A administração municipal ainda espera o cumprimento de uma carta de intenções apresentada ao sindicato, que estabelece 80% de trabalhadores nas unidades. O sindicato alega que o documento não tem parecer jurídico.

O reajuste, segundo a prefeitura, teve como base a inflação no período (4,08%). Além da retomada da negociação, a categoria também quer a criação de plano de carreira, progressão salarial e a instalação de comissão de prevenção de acidentes.

*Com informações do G1

Foto: Divulgação

Comentários

Comentários

Tiro assusta estudantes em colégio de Santos

Guarujá aprova fim do voto secreto na Câmara