Home»REGIÃO»Baixada Santista»PM agride servidores de Cubatão com bombas de efeito moral, balas de borracha e cassetetes

PM agride servidores de Cubatão com bombas de efeito moral, balas de borracha e cassetetes

O objetivo dos servidores era evitar que os vereadores votassem um “pacote de maldades” proposto pelo prefeito tucano Ademário Oliveira (PSDB) que retira direitos dos trabalhadores. A PM desceu o cassete e o projeto foi aprovado.

Da Redação

A Polícia Militar agrediu com bombas de efeito moral, cassetetes e balas de borracha os servidores públicos de Cubatão (SP) que bloqueavam a entrada da Câmara, na tarde desta terça-feira (28). No confronto com a PM seis pessoas ficaram feridas, entre elas o fotógrafo do jornal A Tribuna, Irandy Ribas.

O objetivo dos servidores era evitar que os vereadores votassem um “pacote de maldades” proposto pelo prefeito tucano Ademário Oliveira (PSDB) com dois Projetos de Leis (PL) e uma Proposta de Emenda à Lei Orgânica à Câmara.

Os projetos que tratam da previdência social e das faltas médicas dos funcionários públicos foram aprovados em duas discussões. Também foi aprovada, mas com emendas, a alteração na Lei Orgânica, que precisará ser votada novamente em 10 dias.

O placar da votação foi de 14 votos a 1, inclusive com os votos dos vereadores do PT. Somente o vereador Ivan Hildebrando (PSB) foi contrário.

A ex-prefeita e vereadora de Santos, Telma de Souza (PT-SP), considerou em sua rede social lamentável a violência policial contra os servidores públicos de Cubatão. “Os trabalhadores estavam protestando contra o projeto do atual governo municipal que pretende acabar com benefícios e conquistas da categoria. Aliás, estamos vivendo um momento de profundo ataque aos direitos dos trabalhadores por todo o País. A hora é sim de união e luta. Que tem de ser respeitada e apoiada por todos”, concluiu.

Os Projetos Aprovados

O PL 36/2017 altera dispositivos do Fundo de Reserva Previdenciária. Já há entendimentos de que esse projeto é danoso para a previdência do servidor. O PL37/2017 cria dispositivos que alteram a forma na contagem de tempo de serviço, o que gera prejuízos quanto ao recebimento de benefícios como licença-prêmio, férias, anuênio sexta parte. Estabelece também teto de R$ 5 mil reais brutos para o recebimento de cesta básica.

A Proposta de Emenda à Lei Orgânica apresenta redução de remuneração de hora extra, reduz o valor de remuneração de férias em 50%. São muitos prejuízos e perdas para os servidores. Some-se a isso que diversos benefícios encontram-se suspensos ou defasados.

Greve dos Servidores

No final da tarde, ainda durante a sessão, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou que 80% dos profissionais da Educação, Saúde e Assistência Social devem permanecer na ativa. Os servidores haviam deflagrado nesta terça-feira (28) uma greve de 72 horas.

Vídeos: Jornal A Tribuna

 

Comentários

Comentários

Movimentos sociais de unem para barrar construção de usina termoelétrica em Peruíbe

Mulher é encontrada morta em porta mala de carro após marido ter descoberto traição. Marido nega participação no crime