Home»REGIÃO»Baixada Santista»Greve Geral de Servidores em Santos a partir de hoje

Greve Geral de Servidores em Santos a partir de hoje

Prefeitura tucana não apresenta contraproposta e trabalhadores param a partir desta quinta-feira (09). Com a paralisação dos servidores, apenas serviços considerados essenciais, de acordo com a Constituição, serão mantidos em funcionamento.

Da Redação com Informações do Jornal A Tribuna

Servidores públicos de Santos ligados ao Sindicato dos Servidores Públicos (Sindiserv) entram em greve geral a partir desta quinta-feira (09). Os trabalhadores ligados ao Sindicato dos Servidores Estatutários (Sindest) estão em “greve pipoca” desde a segunda-feira (06), que é quando para apenas um dos serviços por dia. Porém, com a iniciação da greve geral do Sindserv, o movimento do Sindest, por razões éticas, foi suspenso.

A greve geral já estava anunciada em nota, desde que a prefeitura do tucano Paulo Alexandre Barbosa não apresentasse uma contraproposta satisfatória.

Na manhã desta quinta, os trabalhadores participaram de um protesto que lotou a Praça Mauá, em frente ao paço Municipal, no Centro de Santos. O ato dá início à greve geral deflagrada em represália à falta de proposta do Executivo para aumento salarial da categoria.

Com a paralisação dos servidores, apenas serviços considerados essenciais, de acordo com a Constituição, serão mantidos em funcionamento. Em nota, a Administração Municipal informa que irá monitorar a rede a fim de garantir atendimento à população.

A Prefeitura ressalta que em caso de problema no acesso ao pronto atendimento, os munícipes devem recorrer à Unidade de Pronto Atendimento Central (UPA Central), que não será afetada por ser gerida por uma organização social (OS). O atendimento às gestantes está garantido com o funcionamento do Complexo Hospitalar dos Estivadores, também sob gestão de OS.

A Secretaria de Educação, porém, orienta os pais a ligarem para a escola dos filhos para saber se a unidade está funcionando. Com relação aos serviços de limpeza urbana e zeladoria urbana e manutenção predial, a Prefeitura ressalta que estes deverão funcionar normalmente. O mesmo acontece com o monitoramento do trânsito, que é de responsabilidade da Companhia de Engenharia e Tráfego de Santos (CET-Santos). Ambos os setores fazem parte da Administração Indireta e não têm relação com Sindserv ou Sindest.

 

Comentários

Comentários

Prossegue “greve pipoca” do funcionalismo de Santos

Para a polícia, pai não teve envolvimento na morte do menino que caiu de prédio na Praia Grande