Home»REGIÃO»Baixada Santista»Telma de Souza quer explicações da prefeitura sobre o caos na saúde em Santos

Telma de Souza quer explicações da prefeitura sobre o caos na saúde em Santos

A vereadora apresentou denúncia ao MPSP por conta de sucessivos problemas identificados tanto em hospitais quando nos atendimentos especializados e de urgência e emergência. “A Prefeitura precisa agir para evitar que pessoas morram, seja por falta de atendimento, seja por cuidado inadequado”, destaca Telma.

Da Redação com Informações da Rede Telma

A vereadora Telma de Souza, presidente da Comissão de Saúde e Higiene da Câmara Municipal de Santos, apresentou nesta quinta-feira (16), ao Ministério Público do Estado de São Paulo, denúncia para apuração de mal prestação de serviços e irregularidades na Saúde Pública no município. A ação foi movida por conta de sucessivos problemas identificados tanto em hospitais quando nos atendimentos especializados e de urgência e emergência.

Telma protocola denúncia

No pedido de investigação, Telma pontua os problemas que afetam a população, entre eles o Complexo Hospitalar dos Estivadores, que, mesmo após R$ 60 milhões investidos, ainda não iniciou o atendimento de média e alta complexidade, com exceção da maternidade. A parlamentar promoveu uma audiência pública, na última sexta-feira (10), para discutir a situação do Hospital, envolvendo, por exemplo, a escolha de Organização Social (OS) sem a experiência exigida para administrar a unidade, por valor maior do que a segunda proponente na licitação.

“O Hospital dos Estivadores é o mais visível à população, que acompanhou as promessas do atual governo e não viu a possibilidade de ser atendida neste local. Mas os problemas de gestão da Saúde Pública estão espalhados por toda a cidade, da Orla aos Morros e da Zona Noroeste à Continental. A Prefeitura precisa agir para evitar que pessoas morram, seja por falta de atendimento, seja por cuidado inadequado”, destaca Telma, que, em seu governo como prefeita de Santos, foi pioneira na instalação do Sistema Único de Saúde (SUS), no Brasil.

Outro questionamento é o Hospital da Zona Noroeste, cujos atendimentos são precários. Houve, inclusive, a queda do teto no Pronto-Socorro da unidade, que, por sorte, não atingiu usuários e funcionários. Este PS também permaneceu fechado no último sábado (11), por falta de funcionários.

Ainda na questão de urgência e emergência, Telma relata na ação que o Pronto-Socorro da Zona Leste permanece com as obras paradas, enquanto os moradores são precariamente atendidos em um espaço alugado com dimensões insuficientes. Outra irregularidade é a permanência de materiais abandonados que acumulam água e são propícios para a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Por fim, a vereadora destacou a situação caótica da Saúde Mental em Santos. Relatório feito pelo Conselho Municipal de Saúde indica que há indisponibilidade de internação nas unidades que atendem os pacientes, má conservação dos locais de atendimento, com mofo e bolor, alimentação ruim, falta de materiais e de profissionais para acompanhamento médico.

Telma finaliza o pedido de apuração afirmando que “a inação dos gestores diante dos problemas apontados é manifestamente indevida, e vai na contramão do seu dever legal de atuação”.

 

Comentários

Comentários

Estagiário trans faz lindo vídeo sobre transfobia e inclusão

Prefeitura tucana de Jundiaí quer transformar coxinha em patrimônio imaterial