Home»REGIÃO»Vale do Paraíba»São José dos Campos»Vereadores são acusados de atrasar construção de unidade de saúde em São José dos Campos

Vereadores são acusados de atrasar construção de unidade de saúde em São José dos Campos

Moradores se mobilizaram por meio de abaixo-assinado para reverter a situação apontada como “revanche política”

Da Redação

Vereadores do PSDB entraram com ação judicial para barrar a construção de uma nova Unidade de Pronto Atendimento no bairro Novo Horizonte, zona leste de São José dos Campos. No documento, assinado por Dulce Rita, Dilermando Dié, Juvenil Silvério e Fernando Petiti, a justificativa apresentada é a de que o projeto estaria sendo desenvolvido “sem a obediência a Lei Orgânica do Município, e sem as devidas justificativas técnicas, econômicas e financeiras”.

Moradores da região, preocupados com possíveis atrasos nas obras, deram início a um abaixo-assinado que já conta com mais de cinco mil nomes. O documento afirma que “o vereador Juvenil conseguiu junto a um conselheiro do Tribunal de Contas, que é do seu partido, parar a obra apenas por revanche política”. O texto segue também atacando o antigo governo municipal. “O PSDB governou São José por 16 anos e nada fez para resolver o problema da UPA do Novo Horizonte, que não atende mais a demanda da região leste”.

Em vídeo divulgado por páginas do Facebook, moradores reclamam da situação instaurada, acusando os vereadores de estarem contra a população. Num dos depoimentos, a munícipe Juliane Avelar teme que o projeto não saia do papel. “O prefeito já assinou [a autorização para o projeto], e eu acho que fazendo isso [a oposição] não está prejudicando o prefeito, mas está prejudicando a população em geral. É um absurdo, se você for parar pra pensar e analisar”, afirmou.

Além da obra da UPA, outros empreendimentos públicos também sofreram atrasos após ação dos vereadores tucanos, como é o caso do BRT (Transporte Rápido por Ônibus), das reformas do Novo Centro e, mais recentemente, da segunda fase do Hospital da Mulher.

Em nota, a prefeitura lamentou “que a oposição atue com o único propósito de barrar investimentos estruturantes para a cidade”. Segundo a administração municipal,  “todos os esclarecimentos pedidos pela Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas tem sido prestados”, e afirma que “continuará se empenhando para que os projetos sejam viabilizados”.

A prefeitura informou ainda que a nova UPA no Novo Horizonte abrigará salas de espera (infantil e adulto), salas para atendimento de urgências, observação infantil e adulto, brinquedoteca, salas de exames, inalação, curativo, eletrocardiograma, raios X, estacionamento, entre outras dependências. Terá capacidade para atender em média 450 pacientes por dia, ou seja, até 13.500 por mês. O contrato com a empresa responsável pelas obras foi assinado em abril pelo prefeito da cidade, Carlinhos Almeida (PT).

Comentários

Comentários

Haddad critica "hipocrisia" da mídia na cobertura sobre moradores de rua

Russomanno lidera pesquisa eleitoral em SP