Prefeito Fernando Haddad regulamentou a Lei 16.140, que torna obrigatória a inclusão de alimentos orgânicos ou de base agroecológica na alimentação escolar, na rede municipal

Da Redação

Alimentos livres de agrotóxicos agora fazem parte da merenda das crianças nas escolas municipais de São Paulo (SP). Nesta terça-feira (5), o prefeito da cidade regulamentou a lei que prioriza esse tipo de alimento, que, em geral, é proveniente da agricultura familiar, e não de latifúndios.

Na atual gestão, 27% dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) já são investidos em produtos da agricultura familiar na educação municipal – até 2012, esse investimento era de apenas 1%.

Com essa regulamentação, a prefeitura diz que alcançará a meta de 30% dos alimentos de origem da agricultura familiar – conforme previsto na Lei Federal 11.326 de 2006.

Para incentivar ainda mais o desenvolvimento da agricultura familiar, o novo Plano Diretor também demarcou uma zona rural na cidade, em especial na região sul, em Parelheiros.

“A regulamentação da lei vai fazer muito bem para todo mundo. A começar pelas crianças e jovens com acesso a escola pública. Por que quando São Paulo faz, ela prova que é possível e prova que pode ter escala. E não é para ter medo de mudar. Dá para mudar. Então isso certamente vai acabar sendo assimilado Brasil afora como um gesto importante. Que dialoga com a demanda social, por qualidade de vida, e com a demanda ambiental. Então é um ganho fundamental”, disse Haddad.

(Foto: Cesar Ogata/Secom)

 

Comentários

Comentários

Mães empoderadas: as mulheres que não aceitam tudo que o pediatra diz

5 coisas que você precisa saber sobre o coletor menstrual