Home»REGIÃO»Capital»Número de mortes no trânsito na capital paulista cai 20,3% em relação ao ano passado

Número de mortes no trânsito na capital paulista cai 20,3% em relação ao ano passado

“Estamos acabando com a indústria da morte e esse é o objetivo”, afirma o prefeito Fernando Haddad (PT) sobre os resultados dos oito primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado

Da Redação

A quantidade de mortes no trânsito na cidade de São Paulo, no período entre janeiro a agosto deste ano, caiu 20,3% na comparação ao mesmo período de 2014, de acordo com dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Foram registrados 686 óbitos, ante 861 nos primeiros oito meses do ano passado.

Os dados foram apresentados na tarde desta quarta-feira (4) pelo prefeito Fernando Haddad (PT) e o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. A redução das mortes no trânsito acontece simultaneamente a ampliação e intensificação das medidas contidas no Programa de Proteção à Vida (PPV).

Na comparação entre as ocorrências apenas do mês de agosto, a redução do número de mortes foi de 28,6% – de 112 óbitos registrados em 2014 para 80 em 2015. “O mês de agosto é significativo, porque começamos a reduzir a velocidade máxima nas grandes vias e em especial, nas Marginais, no dia 20 de julho. Com isso, para efeito de comparação, havia um período de férias e só dez dias do mês, mas já havia uma redução significativa. Agora, em agosto, evidentemente que com outras vias importantes, mas um mês cheio e em volume que a cidade está acostumada, os resultados foram positivos”, disse Tatto.

Os acidentes fatais envolvendo ciclistas caíram 52,7%, de 36 casos nos oito primeiros meses de 2014 para 19 no mesmo período de 2015. Houve uma queda de 24,7% no número de motoristas e passageiros mortos, de 18,5% no total de pedestres e de 17,2% dos motociclistas. No último balanço, divulgado em setembro deste ano, a redução total do número de mortes registradas no primeiro semestre (janeiro a junho) foi de 18,5%.

Comentários

Comentários

Projeto de Haddad garante licença-maternidade a servidoras municipais durante o estágio probatório

Marx e Engels na periferia de São Paulo