Home»REGIÃO»Capital»Projeto garante a presença de doula e acompanhante no momento do parto

Projeto garante a presença de doula e acompanhante no momento do parto

Vereador do PSOL diz que profissional que dá assistência não médica favorece as diretrizes pelo parto humanizado do Ministério da Saúde

Da Redação

O vereador de São Paulo Toninho Vespoli (PSOL) apresentou o projeto de lei (PL) 451/2015 que garante à parturiente o direito de ser acompanhada por uma doula, independentemente da presença do acompanhante, durante todo o período do trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, bem como nas consultas e exames de pré-natal.

Segundo a proposta, a determinação é válida para maternidades, hospitais e estabelecimentos de saúde da rede pública ou privada. Como condição de ingresso, as doulas deverão cadastrar-se previamente nas instituições.

Há uma lei, aprovada em 1990, que garante que a gestante tenha a companhia de uma pessoa durante o nascimento do bebê, que normalmente é o pai, uma/um parente ou uma amiga ou amigo. Nesse caso, a entrada da doula depende exclusivamente de o hospital autorizar mais um acompanhante.

Para Vespoli, essa restrição acaba prejudicando o bem-estar da mãe, pois, na maioria das vezes, o apoio do familiar difere totalmente da colaboração que uma doula é capaz de prestar. O trabalho das doulas consiste, em linhas gerais, em ficar ao lado da mulher para ensinar técnicas de respiração e relaxamento que ajudam a suportar as dores do trabalho de parto. Também auxiliam a gestante a fazer a força correta para que o bebê nasça, já no fim do trabalho de parto. Esse tipo de apoio tem potencial para diminuir o número de intervenções a que as gestantes são submetidas, como a aplicação de substâncias para acelerar o trabalho de parto, a necessidade de anestesia, que dificulta que a gestante faça a força adequada para o bebê nascer, e o corte na região do períneo, entre a vagina e o ânus, conhecido como episiotomia. Essas medidas costumam ser dolorosas para as gestantes e podem estar associadas a casos de violência obstétrica quando feitas à revelia da paciente.

O trabalho das doulas é uma ocupação prevista pela Classificação Brasileira de Ocupações do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), mas não é regulamentada.

Comentários

Comentários

Alunas de Medicina fazem blackface e ironizam: “inclusão social hahahaha”

Em projeto-piloto, Prefeitura implanta faixa exclusiva para pedestres na Avenida Liberdade