Home»REGIÃO»Campinas»Ministério Público pede a cassação de prefeito de Campinas

Ministério Público pede a cassação de prefeito de Campinas

Jonas Donizette (PSB) é acusado pela promotora do caso de distribuir 846 cargos de livre indicação, ou seja, vagas destinadas a servidores contratados sem realização de concurso público

Da Redação

O Ministério Público Estadual (MPE) foi à Justiça para pedir a condenação do prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB) por improbidade administrativa. Ele é acusado de uso da máquina pública para contratação de aliados políticos ou pessoas próximas a membros do alto escalão como comissionados.

De acordo com a promotora do caso, Cristiane Corrêa de Souza Hillal, a ação civil contabilizou 846 cargos de livre indicação, ou seja, vagas destinadas a servidores contratados sem realização de concurso público. A promotoria pede que esse número seja diminuído para 100. A investigação das contratações ocorre desde 2013 pela promotora, que ouviu 846 comissionados da administração direta e indireta – como Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento), Emdec (Empresa de Desenvolvimento de Campinas) e Ceasa (Centrais de Abastecimento de Campinas).

O MPE pede também a perda dos direitos políticos por cinco anos, multa de 100 vezes o valor da remuneração recebida pelo prefeito Jonas Donizette – o equivalente a R$ 2,1 milhões -, e proibição de contratar ou receber quaisquer benefícios e incentivos fiscais do poder público por três anos.

A assessoria de imprensa do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) apontou que a prefeitura tem direito a defesa prévia antes do juiz decidir se vai aceitar a denúncia do MPE.

Foto: Facebook Jonas Donizette

Comentários

Comentários

Cicloativista norte-americana elogia avanços da bicicleta em São Paulo

Prefeita veta, mas Câmara de Ribeirão Preto aprova multa a quem impedir amamentação