Home»Sem categoria»Fotos de alunos do Santa Cruz são usadas para espalhar boatos

Fotos de alunos do Santa Cruz são usadas para espalhar boatos

É impressionante como boatos se espalham pelas redes sociais. Na última semana, fotos de alunos do Colégio Santa Cruz, um de maiores reputações de São Paulo, foram utilizadas de má-fé por perfis, páginas e blogs contrários a qualquer avanço relacionado a direitos individuais, respeito à diversidade e superação das desigualdades de gênero. Junto com as imagens, o boato dizia que se tratava de uma denúncia recebida por e-mail. E que o colégio “adota aulas práticas em relação a (sic) ideologia de gênero”.

“Peço a todos que verifiquem o que acontece nos colégios onde seus filhos e netos estudam, especialmente no que se refere à questão da Ideologia de Gênero. Pois, colégios tradicionais de São Paulo andaram adotando essa excrescência, colocando em prática em salas de aulas!!As fotos anexas referem-se a aulas práticas no Colégio Santa Cruz de São Paulo, onde meninas beijam meninas e meninos beijam meninos, para ver se gostam!!A segunda foto é dentro de uma sala de aula, sem mais comentários!!!”

Em nota, o colégio Santa Cruz repudiou “as conjecturas e afirmações levianas que atingem e prejudicam o trabalho de educadores e o processo de formação de nossos alunos”. E explica o verdadeiro contexto das fotos. Numa delas, na sala de aula, os estudantes tiram a blusa para de forma simbólica questionar a igualdade de gênero. A imagem foi tirada pelos formandos de 2014, sem conhecimento dos educadores. “Assim que a direção do curso soube do registro, tomou medidas educativas para refletir com o grupo sobre o ocorrido: tanto a respeito da transgressão cometida quanto dos riscos inerentes à divulgação dessa foto em mídias sociais”, diz a nota.

Já a segunda, “mostra, nos jardins da escola, uma aluna do Ensino Médio, reflexiva, rodeada por um grupo de colegas, aos pares, beijando-se: mais uma vez trata-se de uma simulação, idealizada por alunos que intencionavam provocar reflexão sobre as relações homoafetivas. O registro integrou um trabalho de ensaios fotográficos que tematizavam a construção da identidade. Os educadores do Colégio discutiram com os alunos os temas por eles escolhidos e a adequação de expor as fotos produzidas”.

Pontos para o Colégio Santa Cruz, que diante desse episódio poderia sair com uma resposta contra os estudantes. E como afirmou o jornalista e ex-aluno Camilo Vannuchi, “a direção, transparente e contemporânea, soube lidar com as turbulências sem cair no erro banal (e recorrente) de punir os alunos ou subestimar sua inteligência”. “Pude reforçar minha admiração por um projeto pedagógico que, no primeiro ano do Ensino Médio, propõe como atividade curricular a realização de um ensaio fotográfico (ôba!) sobre a construção da identidade (viva!)”, elogiou. “Diante do espantoso anacronismo dos boatos semeados por um conservadorismo hidrofóbico, na mesma semana em que as redes sociais foram pintadas com as cores do arco-íris, o Colégio Santa Cruz respondeu com a dignidade de quem conhece seu lugar no tempo e no espaço.”

 

Comentários

Comentários

14º Festival de Inverno de Bragança Paulista reúne atrações gratuitas

Ela perderia a casa se não fosse o Facebook