Home»Sem categoria»Cordão da Mentira sai às ruas para lembrar que projeto da ditadura ainda não acabou

Cordão da Mentira sai às ruas para lembrar que projeto da ditadura ainda não acabou

Neste 1º de abril, um dia após o aniversário de 51 anos do golpe militar, o bloco sairá em cortejo pelas ruas da capital para chamar atenção às perseguições, extermínios e violações dos direitos a que povos indígenas, negros, sem-terra, sem-teto, imigrantes, transexuais e trabalhadores ainda estão sujeitos 

Por Redação 

O Cordão da Mentira – bloco composto por coletivos políticos, grupos de teatro e sambistas da capital – sairá às ruas nesta quarta-feira (1), Dia da Mentira, para lembrar que parte da população, assim como no período da ditadura, continua sendo perseguida pelo Estado.

Após 51 anos do golpe militar (instituído em 31 de março de 1964), diversos setores da sociedade continuam sujeitos a violações de direitos humanos sem que, desde então, tenha se avançado efetivamente em políticas públicas que garantam a manutenção da democracia.

“Nas ruas, os participantes lembrarão as perseguições, extermínios e violações dos direitos dos povos indígenas, negros, sem-terra, sem-teto, imigrantes, transexuais, trabalhadores e todos os segmentos da sociedade que até hoje lutam pela garantia das condições de sobrevivência”, afirmam os organizadores do evento.

O desfile e o “escracho”, batizado de “Condenadxs da Terra”, terão concentração a partir das 18h no Largo General Osório, em frente ao Memorial da Resistência (antigo prédio do Departamento de Ordem Política e Social -Dops), conhecido centro de tortura e prisão dos indesejados do Estado.

Serviço 

Evento: Cordão da Mentira

Data: 01/04

Horário: 18h

Concentração:Largo General Osório (em frente ao Memorial da Resistência)

Site: https://cordaodamentira.milharal.org/

Página no Facebook: https://www.facebook.com/cordaodamentira

Foto: Reprodução/Facebook 

Comentários

Comentários

Enquanto em SP tentam proibir, Europa planeja 70 mil km de ciclovias

Vai ter ciclovia em São Paulo