Home»Sem categoria»Enquanto Alckmin desacelera, Haddad amplia obras de mobilidade urbana em SP

Enquanto Alckmin desacelera, Haddad amplia obras de mobilidade urbana em SP

Ao mesmo tempo em que as metas para o Metrô, CPTM e estradas têm sido constantemente descumpridas pelo governador de São Paulo, o prefeito da capital paulista inova por meio de ações efetivas, como ciclovias e faixas exclusivas de ônibus

Por Redação

Reeleito governador de São Paulo no primeiro turno da eleição, Geraldo Alckmin (PSDB) começa o seu novo mandato da mesma forma como terminou em 2014:  longe de cumprir as promessas de mobilidade urbana para o estado.

Considerada prioridade na campanha eleitoral, as principais obras de mobilidade da gestão Alckmin perderam o ritmo e algumas, como o trecho Norte do Rodoanel, pararam. Soma-se a isso o atraso na entrega das linhas 9 e 13 da CPTM e a Linha 17-Monotrilho do Metrô, entre outras.

No fim de 2014, Alckmin prometeu inaugurar estações da linha 4-amarela do metrô. Dois meses depois, afirmou que “não tem mais jeito” e que uma nova licitação será feita até o fim do semestre. Com isso, a entrega das estações Higienópolis-Mackenzie e Oscar Freire ficarão para 2016; São Paulo-Morumbi, para 2017; e Vila Sônia, para 2018.

O Plano Plurianual 2012-2015 do governo estadual previa que a região metropolitana de São Paulo contaria com 136 km de trilhos de metrô em 2015, marca que não será alcançada.

Enquanto os prazos para a conclusão das obras têm sido constantemente descumpridos por Geraldo Alckmin, a gestão do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), supera metas de mobilidade urbana por meio de ações efetivas, como ciclovias e faixas exclusivas de ônibus.

Segundo dados da Prefeitura, de 2013 a 2014, o investimento em mobilidade urbana foi de R$6.362.983.932,06. Isto representa 48,6% do que foi aplicado nesta área nos dois primeiros anos da gestão anterior (de 2008 a 2009), do ex-prefeito Gilberto Kassab – à época do DEM. Ao todo, o investimento desta gestão no setor já representa 93,6% do que foi investido de 2008 a 2012 (R$8.358.070.178,95).

Ciclovia

A cidade de São Paulo conta com 255,2 km de malha cicloviária, sendo que 192,2 km foram implantados nessa gestão até 03/03/2015. A meta é implantar 400 km de ciclovias até o final de 2015. Em setembro de 2014, a Pesquisa Mobilidade Urbana, realizada pelo Ibope, apontou que 88% dos entrevistados são a favor da construção e ampliação das ciclovias na cidade.

 Faixas Exclusivas de ônibus

Na atual gestão, foram implantadas 374,8 km de faixas exclusivas. A meta inicial da Prefeitura de se implantar 150 km de faixas exclusivas para ônibus foi alcançada em 9 de setembro de 2013. A meta de 220 km de faixas exclusivas foi alcançada em 7 de outubro de 2013. A meta de 300 km de faixas exclusivas foi atingida em 13 de janeiro de 2014.

Dados da SPTrans mostram que o tempo de percurso médio gasto por passageiro / dia é de 36 minutos. Também verificou-se aumento do número de passageiros transportados, conforme os dados da SPTrans – Superintendência de Receita e Remuneração –DG/SRR.

No último sábado (28), 151 linhas de ônibus começaram a circular durante a madrugada. Os coletivos rodam da meia-noite às 4h e percorrem o trajeto das linhas do Metrô. São atendidas áreas com maior concentração de pessoas, como hospitais, casas de espetáculo, velórios, cemitérios e arenas esportivas.

Comentários

Comentários

Periferia Trans: a luta LGBT na perspectiva das quebradas

Aumento salarial das mulheres é maior que o dos homens na grande SP