Home»Sem categoria»Ônibus pode ser de graça para estudante de baixa renda em SP

Ônibus pode ser de graça para estudante de baixa renda em SP

Esta e outras propostas começaram a ser estudadas depois do resultado da auditoria feita pela Ernst&Young sobre o transporte público gerenciado pela prefeitura

Por Redação

De forma inédita, a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) estuda implantar tarifa zero para os estudantes de baixa renda. Durante entrevista ao programa “Gabinete Aberto”, na última segunda-feira (15), o prefeito já havia sinalizado com essa possibilidade. Em nota, a Prefeitura confirma que estudos estão sendo realizados com o intuito de viabilizar a proposta.

A ideia da tarifa zero surgiu depois que foi realizada a auditoria das contas do sistema de transporte municipal pela empresa Ernst&Young, na semana passada. “Nós recebemos um sumário executivo da auditoria internacional das contas do sistema de transporte. Nunca foi feito. O resultado me surpreendeu, eu pensei que a taxa de lucro das empresas fosse muito superior a que foi constatada pela Ernst&Young”, explicou Haddad durante a entrevista.

A avaliação da prefeitura, após a auditoria, é de que o lucro das empresas de ônibus pode ser diminuído a partir do próximo ano. A expectativa era de que esse lucro estava em cerca de 30%, mas a auditoria revelou que o índice é de 18%. Mesmo assim, o plano é reduzir a remuneração das companhias para cerca de 7%.

“Eu percebo que o transporte é uma demanda essencial dos estudantes. Se o transporte é parte da educação, como preceitua a nossa legislação, não é razoável que o estudante pague para estudar. Colide com o conceito de educação pública gratuita, que é o que reza a Constituição”, finalizou o prefeito Fernando Haddad.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo reiterou que “promove estudos que possam viabilizar a tarifa zero para estudantes de baixa renda”.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Comentários

Comentários

Livro sobre Plano Nacional de Cultura será lançado em SP

Do Capão Redondo para o mundo: Jovem é aceito na Universidade Stanford, nos EUA