Home»Política»Ato em SP defende plebiscito da Reforma Política

Ato em SP defende plebiscito da Reforma Política

A manifestação, que acontece a partir das 18h desta terça-feira (4), presta apoio à presidenta e faz frente aos setores conservadores que, no mesmo local, realizaram um ato pedindo impeachment de Dilma e intervenção militar 

Por Campanha do Plebiscito Constituinte

Nesta terça-feira (4), diversas organizações sociais realizam um ato na cidade de São Paulo em defesa do Plebiscito Oficial por uma Constituinte Exclusiva do Sistema Político.

A mobilização acontece no vão do Masp, na Avenida Paulista, a partir das 18h. Além de São Paulo, Pernambuco, Distrito Federal, Ceará e Minas Gerais também realizarão atos neste mesmo dia.

As mobilizações estão sendo puxadas pelo MST, Levante Popular da Juventude, Central de Movimentos Populares (CMP), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Consulta Popular, Fora do Eixo, entre outras.

Contexto

Após a consulta popular que resultou em mais de 7,7 milhões de votos a favor de uma constituinte exclusiva para reformar o sistema político, entre o dia 1° a 7 de setembro, as mais de 400 organizações sociais pedem agora que o Congresso Nacional convoque um plebiscito oficial.

Na quinta-feira (29) passada, já foi protocolado, na Câmara, um decreto legislativo que convoca uma assembleia constituinte exclusiva para a reforma política.
Se o projeto for aprovado, os eleitores irão às urnas para dizer sim ou não à mesma pergunta realizada no plebiscito popular: “Você é a favor de uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político?”

Segundo os movimentos sociais, o Congresso já deu sinais de que irá complicar qualquer demanda da população neste sentido.

Como exemplo, citam o veto dos deputados na semana passada sobre o decreto da presidenta Dilma Rousseff, que regulamentava a participação dos cidadãos na política brasileira.

Além disso, denunciam a tentativa do Congresso, encabeçada pelo presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), de empurrar a PEC da reforma política e propor um referendo na sequência, sem que haja participação popular em torno deste debate.

Foto: plebiscitoconstituinte.org 

Comentários

Comentários

Cúpula da PM vai para Orlando na conta da Motorola

Prefeito de Taubaté tem mandato cassado pelo TRE