Home»Sem categoria»Neonazismo na Uninove: “Lugar de negro macaco é na senzala”

Neonazismo na Uninove: “Lugar de negro macaco é na senzala”

A mensagem foi escrita no banheiro da faculdade no campus Barra Funda; relatos apontam ainda que um indivíduo com uma suástica tatuada no braço vem fazendo ameaça aos alunos

Por Igor Carvalho, colaborou Ivan Longo 

Estudantes da Uninove do campus Barra Funda, na zona oeste da capital, estão com medo. Na noite da última quarta-feira (15) uma mensagem de teor claramente racista e neonazista foi encontrada em um dos banheiros da faculdade e registrada pelos estudantes.

“Lugar de negro macaco é na senzala, não na faculdade”, estava escrito.

Foto: reprodução/Facebook
Foto: reprodução/Facebook

Só a mensagem em si, para os alunos – principalmente negros ou homossexuais – já é assustadora. Um fato que aconteceu na semana anterior, no entanto, torna a situação ainda mais complicada.

Um aluno que não quis se identificar informou que na última sexta-feira (1o), um indivíduo com uma suástica tatuada no braço teria ameaçado de morte um punk que estava com os estudantes em um bar próximo a faculdade.

“Um rapaz que estava com suas vestes de punk foi ameaçado de morte por um cara que estava tatuado com uma suástica e outro que dizia ser policial civil e estava armado. Logo, amedrontados, saíram fora. Porém ontem (15), ao entrar no banheiro, outro rapaz viu este escrito aí no banheiro ao lado da sala 905 no campus memorial. Uma moça, tabém estudante, disse que fora coagida por estudantes de direito que se dizem nacionalistas”, revelou.

Procurada, a Uninove disse que está apurando o caso e que, de acordo com o que encontrar, tomará as medidas cabíveis.

Os alunos, por sua vez, marcaram um ato contra o racismo e as manifestações neonazistas amanhã, às 11h30, na frente do prédio da faculdade, na rua Adolpho Pinto. Eles exigem que a diretoria tome atitude em relação às pixachões com caráter racista.

 

 

 

 

Comentários

Comentários

De onde vem a água que bebo?

Matarazzo será investigado por dizer que CPI é "teatro"