Home»Sem categoria»Haddad quer tirar Ceagesp da zona oeste; no lugar, moradia popular

Haddad quer tirar Ceagesp da zona oeste; no lugar, moradia popular

A ideia é que o entreposto vá para um local mais estratégico para distribuição de mercadorias, como o Rodoanel; medida deve desafogar trânsito nas marginais Pinheiros e Tietê 

Por Redação 

A prefeitura de São Paulo está estudando a ideia de retirar a Ceagesp, maior entreposto comercial da América Latina, da Vila Leopoldina, zona oeste da capital. O anúncio foi feito pelo prefeito Fernando Haddad (PT) na manhã desta segunda-feira (13). Um dos possíveis lugares para abrigar o entreposto é o Rodoanel.

“A ideia é colocar a Ceagesp um um local mais estratégico do ponto de vista da distribuição. Ainda está sendo pesquisado, mas já há opções”, disse Haddad.

Além de facilitar a distribuição das mercadorias e desafogar o trânsito da região, a medida visa também aproveitar o espaço – que tem 700 mil m² e 44 ruas – para suprir demandas de moradia popular, junto com o incentivo para a vinda de empresas e investimento em sustentabilidade. 

“Nós não queremos uma cidade murada, queremos uma cidade em que as pessoas convivam entre si. Não adianta você ter moradia se não tiver emprego, não adianta ter emprego e moradia se não tiver sustentabilidade”, afirmou o prefeito.

A região onde fica a Ceagesp é no chamado “Arco do Futuro”, ponto chave de desenvolvimento econômico e social da cidade. De acordo com Haddad, a ideia é utilizar a área de uma forma mais nobre, já que “é o entroncamento importante das duas marginais, que tem transporte coletivo, inclusive sobre trilhos, a linha 4 do Metrô e 9 da CPTM estão perto”.

Para viabilizar a medida, a prefeitura pretende transformar a área que hoje é considerada uma Zona Industrial (ZPI) em Zona de Interesse Especial (ZIE). A mudança depende da aprovação da câmara municipal e também da autorização do Governo Federal, já que o terreno pertence à União.

A gestão municipal pretende ainda realizar audiências públicas com os permissionários da Ceagesp para debater a mudança.

Comentários

Comentários

"Problema pontual": 380 mil famílias sem água em SP

Periferia grita: Não somos desinformados!