Home»Política»Cartel: Alckmin sobre a CPI que não teve: “A Alesp é autônoma”

Cartel: Alckmin sobre a CPI que não teve: “A Alesp é autônoma”

Governador, que costuma dizer que no seu governo corrupção sempre é investigada, se irrita e vira as costas para o repórter do SPressoSP que queria saber porque PSDB se recusa a aceitar investigação parlamentar sobre “trensalão tucano” na Assembleia Legislativa

Por Igor Carvalho

Após o debate entre candidatos ao governo de São Paulo, nesta segunda-feira (25), no SBT, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) aceitou falar com a reportagem do SPressoSP mas se irritou com pergunta sobre CPI do Cartel, engavetada há dez meses na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Demonstrando irritação, Alckmin respondeu seco: “A Assembleia Legislativa é autônoma”. Em seguida, o governador  virou de costas, se recusando a responder qualquer outra pergunta e partiu sem explicar porque nenhum parlamentar do PSDB e da base aliada assinou, até hoje, o pedido de CPI para investigar a formação de cartel para fraudar licitações do Metrô e da CPTM durante as gestões tucanas em São Paulo. Das 32 assinaturas necessárias para a formação da CPI, a oposição conseguiu 29.

Sem a resposta do governador, a reportagem do SPressoSP escutou os demais candidatos ao governo paulista sobre o embargo da investigação. Gilberto Maringoni (PSOL), afirmou que a prática é recorrente no governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

“É espantoso que ele não queira responder sobre uma CPI, imagina se falarmos das 70 que ele engavetou. Isso mesmo, foram 70 CPIs engavetadas na Alesp e não uma”, afirmou o candidato do PSOL, que não entende o “mata-burro tucano que impede investigações”. “Eles [PSDB] sequer deixaram chamar o Robson Marinho [conselheiro afastado do TCE após denúncias de que teria recebido propina para favorecer a Alstom em licitações].”

Padilha também comentou a blindagem da investigação na Alesp. “Nenhuma CPI é permitida pelo governo de São Paulo. Foram mais de 60 CPIs engavetadas. A prática do PSDB é essa, eles escondem a corrupção embaixo do tapete.” O petista também citou o ex-conselheiro do TCE. “Quando alguém é indiciado, como o Robson Marinho, o PSDB premia com cargo vitalício no Tribunal de Contas do Estado, eles colocaram a raposa pra cuidar do galinheiro.”

O candidato do Laércio Benko (PHS) foi o único que preferiu “Sou vereador e não gosto de analisar os outros poderes, mas penso que se há uma denúncia, ela deve ser investigada. O governador é bom em falar números que não refletem a realidade de São Paulo, mas também sabe bem como engavetar uma CPI.”

Os candidatos Paulo Skaf (PMDB), Walter Ciglioni (PRTB) e Gilberto Natalini (PV) não foram escutados pois já tinham se retirado do estúdio do SBT.

Comentários

Comentários

Padilha para Alckmin: “Eu fiz o ‘Mais Médicos’; o atual governo, o ‘Mais Roubos’

Bicicletada em Santa Cecília "contra tudo e contra todos"