Home»Sem categoria»Ato “Roosevelt Livre”, pelo direito ao debate em espaço público

Ato “Roosevelt Livre”, pelo direito ao debate em espaço público

O coletivo “Por que o senhor atirou em mim?” organizou para esta quarta-feira (9) um ato na Praça Roosevelt para mostrar o seu repúdio à ações da polícia que visam impedir manifestações e encontros na rua; “A PM não decide o que fazemos ou deixamos de fazer no espaço público”

Por Redação 

No último dia 1º de julho a Polícia Militar de São Paulo reprimiu violentamente um ato-debate na Praça Roosevelt, em que o principal objetivo era justamente discutir as ações da polícia em manifestações e as prisões arbitrárias. Na ocasião, 6 pessoas foram presas e agredidas, incluindo dois membros do coletivo Advogados Ativistas.

Diante de episódios como esse, o coletivo “Por que o senhor atirou em mim?” marcou, para a próxima quarta-feira, o ato “Roosevelt Livre”, com o intuito de reivindicar o direito à reunião e manifestação em espaço público.

A partir das 14h30 será realizado, na praça do centro da capital, a roda de conversa “Direito à cidade, ocupação dos espaços públicos, liberdade de manifestação e militarização”.

Os organizadores convocam todos que estejam indignados com este cerceamento de liberdades a trazer “suas práticas, saberes e discursos, num ato com mil atos dentro”, para mostrar que a população pode, sim, se reunir na praça e discutir o que bem entender.

Na página do evento no Facebook, o coletivo lembra ainda outros episódios em que a PM tentou impedir que a população debatesse a cidade na rua, como quando cancelaram, de última hora, a autorização para que fosse realizado o show de encerramento do  Festival Contra a Violência Policial no dia 7 de junho, também na Praça Roosevelt.

Para os organizadores do ato, atitudes desse tipo da Polícia Militar denotam “práticas típicas de períodos ditatoriais”, por ser uma situação em que “apenas os poucos que detém o poder e o uso da força policial podem discutir e decidir as questões que afetam a todos”.

O texto completo para a convocatória do ato pode ser lido aqui.

Leia mais sobre o assunto: 

“Eles falaram que eu ia morrer”, diz advogado detido sobre PM 

Advogados ativistas denunciam à OAB-SP detenções em atos públicos 

 

 

Comentários

Comentários

Assalto milionário na fábrica da Samsung de Campinas

'Pintura Sem Limites' apresenta obras de artistas com deficiência