Home»Sem categoria»Metrô: “Se houver paralisação, a responsabilidade é do Governo do Estado”

Metrô: “Se houver paralisação, a responsabilidade é do Governo do Estado”

Às vésperas de uma possível greve, metroviários usam os avisos sonoros entre as estações para alertar a população e esclarecer que a culpa é do governador 

Por Ivan Longo

Como não houve acordo em assembleia realizada nesta quarta-feira (4) entre os trabalhadores do Metrô e a companhia, a greve já é dada como certa nesta quinta-feira (5). Uma nova reunião está marcada para a noite desta quarta-feira (4), mas como não confiam em uma negociação com o governador e a empresa, os metroviários já estão dando o aviso: “Se houver paralisação, a responsabilidade é do Governo do Estado”.

A mensagem está sendo transmitida através dos alertas sonoros dados entre as estações. O estudante de publicidade Guilherme Aquilante gravou um vídeo em uma das composições da Linha 2 – Verde em que é possível ouvir o alerta. “Atenção, os metroviários estão em campanha salarial. Se houver paralisação, a responsabilidade é do governo do Estado. Contamos com seu apoio”, diz o locutor.

Em campanha salarial desde maio, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo pede um reajuste de, no mínimo, 10%, enquanto a última proposta da companhia, administrada pelo Governo do Estado, foi de 8,7%.

De acordo com o estudante que gravou o vídeo na manhã desta quarta-feira, um outro aviso sonoro também foi dado, mas este ele não conseguiu gravar. A mensagem dizia: “Os metroviários estão em campanha contra o sufoco e dispostos a trabalhar sem a cobrança de tarifas. Isso depende do Governo do Estado”.

O alerta faz referência à alternativa dada pelo sindicato ao Governo do Estado: de liberar as catracas em troca da greve. O governador Geraldo Alckmin (PSDB), no entanto, recusou a proposta e mostrou “preferir” a paralisação.

A reunião que deve bater o martelo sobre a greve de quinta-feira ocorre hoje (4) a partir das 18h30.

Comentários

Comentários

  • Eduardo Filho

    Eu só espero que a população acorde pra vida e enxergue isso de uma vez por todas. A greve do metrô deve ser feita não só por salários, mas pelas condições absurdas em que se encontra. Esse Alckmin é um lixo e péssimo governador, egoísta que só! FORA! Eu apoio 100% essa greve

  • Wagner Henrichs

    É fácil colocar a responsabilidade no outro, lembre-se que foi uma escolha ter prestado Concurso, desta forma fazer chantagem de Aumento Salarial prejudicando a População, não concordo, faça greve mas assuma seu Atos e Responsabilidades. É por isso que o Sindicato não faz chamada “catraca livre”, pois disseram que só fariam se não houvesse punições por este ato, punição essa aplicada somente ao Sindicato. Mas lógico que o Sindicato não quer assumir este risco, não é?…Então como todo Cidadão Brasileiro estou na mão de Funcionários Públicos (digo mais uma vez e opinião minha, “quem presta concurso é porque quer, ninguém pediu ou votou para ocuparem tal cargo”), não tá feliz Pede Exoneração e vai tentar no Mercado de Trabalho.
    Não sou a favor a nenhum Político, só sou um Brasileiro cansando de ver Greve pelo Motivo de dinheiro, e a população que é prejudicada…Sou a Favor da Greve, mas faça e prejudique o seu empregador e não o Cidadão que além de sofrer todo dia com o Descaso Político, sem infra-estrutura pra nenhum atendimento em tudo que necessita – também é roubado per estes Políticos Corruptos que só fazem Leis para beneficiar à si mesmo…Desculpe-me Funcionário Públicos não quero ofendê-los, mas Sindicatos e Governo sempre deram as mãos e não estão nem ai para os Trabalhadores/Cidadãos etc…

  • Marcelo Soares De Nigres

    Greve essencialmente política liderada pelo sindicato que tem seu presidente filiado ao PSTU. Inclusive o ministério público devia analisar o uso de sistema de som das composições para fazer um comunicado desse tipo.

Crise na USP: sindicância vai investigar gastos com salários

Fé ostentação