Home»Sem categoria»Rapaz é barrado em concurso do Estado por obesidade

Rapaz é barrado em concurso do Estado por obesidade

Governo alega que o auxiliar apresenta obesidade mórbida e requer avaliação mais detalhada

Por Redação

Faria entrou com medida cautelar para realiza novos exames (foto: Reprodução/EPTV)
Faria entrou com medida cautelar para realiza novos exames (fotos: Reprodução/EPTV)

O auxiliar de enfermagem João Pedro de Faria, de 47 anos, foi impedido de assumir o cargo de técnico de enfermagem, posto alcançado em concurso público, sob alegação de obesidade mórbida. Para o governo do Estado, ele apresentou condição clínica em desacordo com o que pede a legislação, de acordo com o portal G1.

Faria prestou o concurso em 2013 para trabalhar em um hospital do Estado em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Aprovado, foi barrado no exame médico, porque a junta o diagnosticou com obesidade mórbida e classificou o quadro como ‘patologia grave’.

Faria considerou a medida discriminatória e solicitou a tutela antecipada para assumir o posto e aguarda a decisão da Justiça. “Estou me sentindo excluído e discriminado”, declara. O auxiliar trabalha há 18 anos no Hospital Santa Tereza e quis aproveitar a abertura de vagas para técnico na unidade no ano passado.

O rapaz garante que, apesar do peso (ele pesa 134 quilos e mede 1,70 metro), nada o impede de desenvolver suas atividades. Ele entrou com recurso para buscar uma nova avaliação médica. “Fui até São Paulo duas vezes, gastei com a viagem, tudo para resolver esse impasse. Fiquei muito chateado, porque nunca tive problemas de saúde, nem fiquei de licença médica”, explica.

A Secretaria de Gestão Pública do Estado informou ao G1 que a obesidade não é considerada fator impeditivo para ingresso na carreira pública, porém a obesidade mórbida “é considerada doença grave e requer avaliação mais detalhada, dadas as doenças oportunistas.” Ainda de acordo com a secretaria, o resultado não pode ser considerado ato preconceituoso, visto que o Departamento de Perícias Médicas do Estado de São Paulo (DPME), responsável pelo exame, segue critérios técnicos e científicos previstos na legislação.

Leia mais sobre esse assunto:

Para o Estado, professora obesa não pode lecionar

Professoras vetadas em concurso marcam nova avaliação

Comentários

Comentários

Acusado de explorar servidores, Batoré ganha tempo

'Temos que usar o sistema contra o próprio sistema'