Home»REGIÃO»Capital»Ocupantes põem fogo em apartamentos durante reintegração de posse em SP

Ocupantes põem fogo em apartamentos durante reintegração de posse em SP

Tropa de Choque da PM e moradores entraram em confronto durante a desocupação dos prédios em Itaquera

Por Redação, com Fernanda Cruz, Agência Brasil

Sem teto montaram barricadas para impedir ação da polícia (fotos: Reprodução TV)
Sem teto montaram barricadas para impedir ação da polícia (fotos: Reprodução TV)

Ocupantes do Conjunto Habitacional Caraguatatuba, na zona leste da capital paulista, atearam fogo a pelo menos quatro apartamentos, na tarde desta quinta-feira (20), durante a reintegração de posse dos prédios, conduzida com a presença da Polícia Militar. Pela manhã, a Tropa de Choque entrou em confronto com os moradores que decidiram resistir à desocupação. Cerca de 70% dos ocupantes já deixaram o local. Os que resistiram ainda quebraram portas, janelas e lustres antes de sair.

No total, aproximadamente 5 mil pessoas viviam no condomínio, segundo a Associação de Moradores. Essa era a maior ocupação de unidades pertencentes ao Programa Minha Casa, Minha Vida na capital, de acordo com a Caixa Econômica Federal, proprietária dos imóveis.

Segundo a sem teto Vanessa Muniz, de 29 anos, a polícia entrou nas unidades usando gás de pimenta e atirando bombas. “Tive que deixar meus móveis para trás”, declarou à Agência Brasil. Cerca de 150 policiais militares participaram da reintegração de posse. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os moradores fizeram cinco barricadas no entorno do conjunto para dificultar o acesso e atiraram pedras nos policiais, que revidaram com bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo.

Hoje foi o terceiro dia de negociações entre moradores e a Polícia Militar para que a desocupação ocorresse de maneira pacífica. Em reunião na tarde de ontem (19) no Ministério Público, a Associação de Moradores tentou um acordo com a Caixa Econômica Federal. Porém, segundo o advogado que representa as famílias, Renan Verzola, a Caixa alegou que essas famílias estariam “pulando fila” dos programas habitacionais, caso recebessem imóveis para morar. “Não houve acordo e percebi que a reintegração de posse seria inevitável”, declarou o advogado.

O Conjunto Residencial Caraguatatuba, localizado na Rua Domingo Rubino, região de Itaquera, tem 940 apartamentos em 47 prédios, e foi ocupado no dia 25 de julho do ano passado. A decisão da 13ª Vara Cível da Justiça Federal em São Paulo foi expedida em agosto do ano passado.

Em nota, a Caixa informou que os apartamentos integram a Faixa 1 do Programa Minha Casa, Minha Vida, destinado a famílias com renda até R$ 1,6 mil por mês. O valor do investimento chegou a R$ 49,6 milhões.

“As obras estavam concluídas e a Caixa aguardava o processo de legalização para a entrega aos beneficiários. O sorteio estava previsto para os dias 7 a 9 de agosto de 2013, mas o empreendimento foi invadido no fim de julho de 2013. A Caixa esclarece que não negocia com invasores e busca sempre preservar o direito dos reais beneficiários que foram devidamente selecionados pelo município de acordo com a regras do Programa Minha Casa, Minha Vida”, diz o comunicado.

Comentários

Comentários

Alstom teria dado dinheiro a partido político em SP

Para presidente da Parada, trans sempre tiveram espaço