Home»Sem categoria»EUA: o xerife, o jornalismo de dados e a sociedade que quer seguir atirando

EUA: o xerife, o jornalismo de dados e a sociedade que quer seguir atirando

Por Renato Rovai

Segue uma nota publicada no Blog Jornalismo nas Américas, do Knight Center, da Universidade Austin do Texas. Ela é ilustrativa tanto do que é a sociedade americana, quanto dos conflitos dos tempos atuais que vão cada vez mais revelar de que lado estão os que de fato defendem a liberdade de imprensa e de expressão. Vale a pena dar uma lida nesta matéria.

Editor de jornal americano se demite depois de a publicação desistir de pedido de acesso a informações públicas

Em carta aos leitores, Cherokee Scout anunciou que retiraria o pedido por informações sobre armas nos EUA.

O editor de um pequeno jornal da cidade americana deMurphy, na Carolina do Norte, se demitiu depois de a publicação desistir de um pedido de acesso a informações públicas sobre armas no país que havia incomodado moradores da região, informou a Columbia Journalism Review (CJR) reported. O caso é o mais recentes envolvendo solicitações de dados, privacidade e armas.

Segundo a CJR, Robert Horne anunciou que deixaria o cargo de editor do Cherokee Scout e do Andrews Journal no dia 26 de fevereiro, apenas uma semana após fazer um pedido de acesso a informações públicas sobre posse de armas no condado de Cherokee.

O xerife Keith Lovin negou o pedido, argumentando que tais informações não seriam públicas, acrescentou a CJR. Quando Horne tentou insistir, Lovin publicou o pedido na página do departamento de polícia no Facebook.

No dia 21 de fevereiro, em uma carta aos leitores, o editor responsável David Brown afirmou que Horne havia sido ameaçado por moradores histéricos em decorrência da atitude do xerife. Mas, apesar de acreditar que o Scout sairia vitorioso de um processo pelo acesso aos dados, acrescentou que não iria à Justiça.

“Nossos leitores falaram e nós sempre escutamos vocês. Estamos retirando nosso pedido e o assunto está encerrado”, dizia a carta

No dia seguinte, Brown publicou uma nova carta, (reproduzida no blog de Jim Romenesko), pedindo desculpas pelo erro de julgamento.

“Como editor do seu jornal local, quero pedir desculpas às pessoas que chateamos sem intenção com nosso pedido de informações sobre posse de armas. Não tínhamos ideia da reação que ele causaria”

A decisão do jornal foi amplamente criticada por especialistas em mídia. Romensko chamou a atitude de “o mais inacreditável pedido de desculpas de um jornal até hoje”.

Em janeiro, um jornal do estado de Nova York havia gerado polêmica ao publicar uma mapa interativo com os nomes de milhares de moradores da região com posse de armas. A decisão levantou uma discussão sobre a responsabilidade dos jornalistas ao lidar com grandes volumes de dados.

Renato Rovai é jornalista e editor da Revista Fórum. 

Leia outros textos de Renato Rovai:

O que você faria se descobrisse que seu filho usa Crocs?

Que tal fazer o teste para saber quão Alckmin você é…

Vitória da vergonha: Folha consegue manter censura do blog Falha de S.Paulo

Comentários

Comentários

São Paulo vai criar 20 mil moradias populares no centro

Corregedoria da Câmara de SP decide não investigar Aurélio Miguel