Home»Política»Aref é dono de estacionamento em shopping que funciona sem alvará

Aref é dono de estacionamento em shopping que funciona sem alvará

O ex-diretor do Aprov é dono de 2,4 mil vagas no shopping Mooca Plaza 

Da Redação 

Estacionamento do Mooca Plaza é administrados pelos filhos e pelo irmão de Aref (Foto: Divulgação)

O estacionamento do Shopping Mooca Plaza, que foi multado ontem (21) em R$ 205 mil por não possuir o Habite-se e a licença de funcionamento, pertence ao ex-diretor do Aprov, Hussain Aref Saab. De acordo com informações do jornal Estado de S. Paulo, entre os 106 imóveis de Aref, que é investigado por receber propinas para liberar obras, está a garagem do shopping da zona leste. A operação do estacionamento, que possui 2,4 mil vagas, foi terceirizada para a empresa Professional Park, registrada em nome dos filhos, Ana Paula Saab Zamudio e Luis Fernando Saab, e do irmão do ex-diretor, Nacib Aref, que é filiado ao PSD (partido fundado pelo prefeito Gilberto Kassab) e já atuou como assessor parlamentar na Câmara Municipal.

O shopping Mooca Plaza foi inaugurado em novembro do ano passado e funciona de forma irregular até hoje. O empreendimento não possui o Habite-se, o alvará de funcionamento, o certificado de conclusão da obra e o Trap (Termo de Permissão de Aceitação Parcial), uma vez que não concluiu as obras para amenizar o impacto do empreendimento no trânsito da região. Desde a sua inauguração, o shopping tenta se regularizar, porém, todos os pedidos de licenças foram indeferidos. A tentativa de regularização evidencia que a prefeitura tinha conhecimento sobre a situação irregular do centro de compras, entretanto, o shopping funcionou até o momento sem nenhuma intervenção da subprefeitura da Mooca. Somente ontem, após a imprensa publicar denúncia sobre a irregularidade, fiscais foram fazer uma vistoria e aplicaram a multa de R$ 205 mil.  O Mooca Plaza tem 30 dias para se regularizar e evitar que seja lacrado.

A Corregedoria-Geral do Município informou que abriu uma investigação para apurar as irregularidades e pediu os documentos relacionados ao caso para a Subprefeitura da Mooca. Por sua vez, o Ministério Público, através das promotorias de Habitação e Urbanismo e a de Patrimonio Público, também abriu  investigação. O MP pretende descobrir os problemas ocasionados pelo funcionamento de um shopping sem as devidas licenças, a omissão do poder público e a relação de Aref com mais este caso envolvendo o funcionamento irregular de grandes empreendimentos em São Paulo.

O shopping Mooca Plaza não manifestou-se sobre a denúncia, apenas informou que foi notificado das irregularidades. O advogado de Aref, Augusto Botelho, não foi localizado para comentar o caso.

Comentários

Comentários

Palmeiras é finalista da Copa do Brasil

Ato lembra morte de angolana em SP e cobra novas políticas para imigrantes